Login | Cadastre-se

O Sebo Cultural - Centro

(83) 3222-4438

O Sebo Cultural - Manaíra

(83) 3185-6060

O Sebo Cultural - Bancários

(83) 3508-4793

LITERATURA ESTRANGEIRA

O HOMEM QUE AMAVA OS CACHORROS

LEONARDO PADURA FUENTES
Livro Indisponível.
CÓDIGO 273605-A
PESO 910g
PÁGINAS 589
ANO 2015
EDIÇÃO 2
DIMENSÃO 16 X 23
TRADUÇÃO HELENA PITTA
EDITORA BOITEMPO
 
ESTADO DE CONSERVAÇÃO
Livro Usado - CONDICAO GERAL: BOM, CONSERVA-SE EM BOAS CONDICOES PARA O MANUSEIO DA LEITURA EM RELACAO AO ANO DE PUBLICACAO. CAPA/CONTRA CAPA: COM LEVES DESGASTE NAS EXTREMIDADES, PRESERVADAS. FOLHAS DE ROSTO: COM PEQUENAS MANCHAS DE OXIDACAO . NADA QUE ATRAPALHE A LEITURA.
A história é narrada, no ano de 2004, pelo personagem Iván, um aspirante a escritor que atua como veterinário em Havana e, a partir de um encontro enigmático com um homem que passeava com seus cães, retoma os últimos anos da vida do revolucionário russo Leon Trotski, seu assassinato e a história de seu algoz, o catalão Ramón Mercader, voluntário das Brigadas Internacionais da Guerra Civil Espanhola e encarregado de executá-lo. Esse ser obscuro, que Iván passa a denominar 'o homem que amava os cachorros', confia a ele histórias sobre Mercader, um amigo bastante próximo, de quem conhece detalhes íntimos. Diante das descobertas, o narrador reconstrói a trajetória de Liev Davidovitch Bronstein, mais conhecido como Trotski, teórico russo e comandante do Exército Vermelho durante a Revolução de Outubro, exilado por Joseph Stalin após este assumir o controle do Partido Comunista e da URSS, e a de Ramón Mercader, o homem que empunhou a picareta que o matou, um personagem sem voz na história e que recebeu, como militante comunista, uma única tarefa - eliminar Trotski. São descritas sua adesão ao Partido Comunista espanhol, o treinamento em Moscou, a mudança de identidade e os artifícios para ser aceito na intimidade do líder soviético, numa série de revelações que preenchem uma história pouco conhecida e coberta, ao longo dos anos, por inúmeras mistificações. As duas trajetórias ganham sentido pleno quando Iván projeta sobre elas sua própria experiência na Cuba moderna, seu desenvolvimento intelectual e seu relacionamento com 'o homem que amava os cachorros'.
 
"Quer saber mais sobre esse exemplar? Clique aqui!"
tarsisgomes.com.br - Criação de Sites